quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Deewana (1992)



Oi pessoal!

Essa atualização demorou, né? Acredito que não poderei mais manter aquele ritmo semanal de atualizações. Pode não parecer, mas aquelas historinhas dão trabalho! Parir uma ideia para alguém como eu não é fácil, requer muito esforço mental! XD Também estou ocupada com os estudos e os meus desenhos. Fazer quadrinhos (em estilo mangá, claro) é uma mão de obra que vocês não imaginam. Mas deixando isso de lado, vamos tentar atualizar o blog sempre que possível e essa semana vamos Shahrukhar! XD Embora você nunca sinta falta de SRK quando entra no nosso blog, já estava devendo uma resenha de um filme dele faz tempo.  E o escolhido é Deewana, de 1992. Esse filme é considerado o primeiro filme da carreira do nosso divo e segundo o Shahrukhkhan.org, foi um superhit na Índia. 

 Esse poster é uma arte rara... o close do SRK todo suado define o sentimento!

A sinopse, claro:

“Quando o famoso cantor Ravi (Rishi Kapoor) se apresenta na cidade da bela e jovem Kajal (Divya Bharti), os destinos dos dois finalmente se cruzam. Rapidamente se apaixonam e logo se casam. Mas o sonho dura pouco, pois o tio de Ravi, Dhirendra Pratap (Amrish Puri, sempre ele) e seu filho mau caráter, que vinham roubando descaradamente a família, conspiram contra o casal e o resultado é uma tragédia: Ravi e o primo acabam morrendo. Kajal e a sogra fogem da ira de Dhirendra e se escondem na cidade. Mergulhada na tristeza, Kajal deseja viver uma vida de resignação e sofrimento, até a motocicleta do jovem e despreocupado Raja Sahai (Shahrukh Khan, nosso divo) cruzar seu caminho.”

Quando assisti Deewana (que significa algo como “apaixonado”) já era fã do SRK. Já tinha visto seus maiores sucessos como DDLJ, KKHH e RNBDJ. Por isso foi interessante ver seu primeiro filme. Ele é dos mais legais desse início de carreira e entre Deewana e coisas como Chamatkar, Guddu e English Babu Desi Men, nem pense duas vezes e fique com Deewana! Mas não espere que o filme seja todo do Shahrukh, pois não é. Ele divide a cena com Rishi Kapoor, que faz um Ravi legal (se você estiver com boa vontade), mas que não combina em absolutamente nada com a Kajal vivida pela bonequinha Divya Bharti. Pelo contrário, o casal ficou quase criminoso! XD 

 Credow! E esses moletons que ele usava? #medo

 
Como todos aqui sabem, não conheço nada de velha bollywood. Conheci o Rishi Kapoor já mais velho em Fanaa e assisti apenas a um filme dele quando mais jovem, que foi Amar Akbar Anthony. Isso pode ter pesado no meu julgamento, mas eu não consegui comprar a ideia de que Ravi e Kajal estavam apaixonados. Rishi era muito velho pra ela, estava bem redondinho (Medida Certa no Ravi já) e você tinha que deixar o bom senso de lado pra acreditar que aquele tiozão era um cantor galã que deixava as mocinhas com fogo na bacurinha! Por isso que quando Ravi bate as botas, depois de cantar umas três músicas (a sensação que tive é que o personagem de Rishi mais cantou que falou aqui), eu fiquei até bem mais interessada no filme. Até essa parte ele é meio monótono, com umas situações meio bestas entre ele e Kajal. Na boa, aquela de ficar escrevendo cartinha... PLMDDS!

 SRK ainda era um bombonzinho nessa época, só depois vira aquele chocolatão...

Quando a segunda parte começa, somos presenteados com a chegada do personagem de SRK. Deixando o fanatismo e amor ao divo máximo do blog de lado, o filme melhora consideravelmente quando Raja entra em cena. Filho de um homem rico e insensível, ele vivia como queria, cercado de amigos desocupados como ele, até conhecer Kajal. Raja desenvolve um amor meio perigoso por ela (escrever o nome da pessoa amada no corpo com um objeto cortante não é coisa de gente normal, vamos combinar) e faz de um tudo para conseguir o seu amor. Colocando o fanatismo e amor ao divo máximo do blog na conversa, quando SRK entra em cena, aparentando não ter mais de 18 anos, pilotando uma motinha, é como o nascer do sol. Como se finalmente aquela uma hora e meia anterior fosse apenas a preparação para aquele momento. “Finalmente ele chegou” foi o que pensei na hora, em meio a um inevitável sorriso. Dava pra sentir que aquele rapaz tinha algo a mais, que iria longe. O carisma explosivo de SRK nasceu com ele e se mostrou em todas as suas cores já na sua primeira cena.

 Shahrukh e Divya fizeram um jodi lindo... #nível de fofura no teto

Quando o filme acabou, só conseguia pensar em ver mais filmes com SRK e Divya. Os dois fizeram um casal fofura, lindo de ver. Mas uma procura básica no IMDB acabou com meu sonho: Divya morreu em 1993. Fiquei num choque tal com isso, que piorou muito ao saber que até hoje sua morte é cercada de mistérios. Uns dizem que ela sofreu um acidente e caiu da sacada, outros que foi suicídio e outros que fora assassinada pelo marido. As investigações na época disseram que foi um acidente. De qualquer forma, sinto que o cinema indiano perdeu uma atriz linda, carismática, que tinha um jeito todo próprio de dançar e um dos melhores pares que SRK já teve.


As músicas de Deewana são legais, um monte na primeira parte, como Sochenge Tumhe Pyar, que é a música que Ravi conquista Kajal em seu incrível show. Eu senti uma enorme nostalgia, pois fui lááááá na minha mais antiga infância ao lembrar do programa Nações Unidas do Gugu. Já em Koi Na Koi Chahiye somos introduzidos ao adorável Raja. A música e a cena são muito divertidas, com destaque para o amigo gordinho de Raja e sua total falta de respeito a qualquer tipo de lei de trânsito. Ah! Reparem também na dancinha de SRK com as jogadoras de Badminton. Ali ele já começava com aquela fofura. Também quero destacar Aisi Deewangi na qual Raja se deixa levar pelo amor e sonha com Kajal. A música é uma graça e as dancinhas adoráveis. Difícil não se encantar com eles aqui.

Deewana é um filme legal, com surpresas, romance e boas músicas. O blog recomenda o filme a todos por vários motivos, entre eles conhecer a linda Divya Bharti e ser mais um a lamentar sua morte precoce. É obrigatório a todos os fãs de Shahrukh Khan, não só por ser sua estreia no cinema, mas também porque em Deewana já podemos ver sinais que ali nascia um rei. 


Raja, seu lindo!

Kajal, sua linda!

Se está perseguindo a mocinha na cara de pau, é amor!! XD

Você também acho que eles iam se abraçar né? Enganei o bobo, na casca do ovo! XD

Um comentário:

  1. Tabby eu sou fã do seu talento ! É sempre um prazer ler seu blog ( se escrever um livro sou a 1º da fila ) sobre a regularidade ñ esquenta com isso o mais importante é escrever inspirada !!!! vou ate dar uma chance para o filme !
    ADOREIII meu lord delicia das galaxias Marido Shahid lembrado .... Mais o bombom dele é so MEU !! Srkjoletes kkkkkkk adoroooo!!!

    ResponderExcluir